Bonança, Moreno-PE

Flora e fauna do nosso "Condomínio Alamêda dos Ipês"


Um catálogo sobre as observações do nosso condomínio. Todas as fotos foram tiradas dentro do nosso paraíso. Vamos cuidar da nossa natureza!

Você tem fotos? Mande para Heiko (pelo grupo de WhatsApp)! Agradecemos!!!


Que bichos lindos!

Fotos: Corujas Weidson Marinho, 24.04.22, lote 17; Iguana Rosário, 21.04.22; Anu branco Heiko Brunken, 02.04.22


Rhigus_nigrosparsus , lote 157, 22.03.22, Marcos, identificação João-Regueira; Família Cerambicídeos (Cerambycidae), Guilherme José de Vasconcelos, lote 154, 26.03.22; Gafanhoto-Soldado (jovem) Chromacris speciosa Heiko Brunken, lote 80, 16.04.22


Novo projeto!

"Flora e fauna Condomínio Alameda dos Ipês - Bonança-PE" no site iNaturalist.org

Observações sobre a flora e a fauna do Condomínio Alameda dos Ipês em Bonança-PE (Moreno, Pernambuco), reunidas por moradores e amigos. Editor Heiko Brunken. 

Link: https://www.inaturalist.org/projects/flora-e-fauna-condominio-alameda-dos-ipes-bonanca-pe

Connect with Nature! Conecte-se com a Natureza! 

Uma das aplicativos da natureza mais populares do mundo, iNaturalist ajuda a identificar as plantas e os animais ao seu redor. Conecte-se com uma comunidade de mais de um milhão de cientistas e naturalistas que podem ajudá-lo a aprender mais sobre a natureza! Além disso, ao registrar e compartilhar suas observações, você criará dados de qualidade de pesquisa para cientistas que trabalham para melhor entender e proteger a natureza. iNaturalist é uma iniciativa conjunta da Academia de Ciências da Califórnia e da National Geographic Society.

 

Leria mais: sobre iNaturalist

 

Sejam bem vindos a participar!!! Na dúvida, fale com Heiko (lote 80) 


Sapo-Cururú (Rhinella marina) perto do lote 95, 24.04.22, foto: Heiko Brunken. Segundo Wikipedia (https://pt.wikipedia.org/wiki/Rhinella_marina): "Em geral, os adultos atingem de 10 a 15 centímetros de comprimento. O maior exemplar da espécie de que se tem notícia media 38 centímetros do focinho à cloaca e pesava 2,65 quilogramas." Uffa!!!

Caramujo Júnior; Borboleta, Heiko Brunken, 24.04.22; Sapo Thomás Soares, lote 108

Temos mais!

Olá pessoal! Acabamos de colocar as últimas observações. Muito obrigado pelas informações! Se algo estiver faltando (por exemplo, nomes dos autores) ou se algo estiver errado, pedimos desculpas e atualizações ou acréscimos através de nosso grupo WhatsApp. Muito obrigado mais uma vez!  (HB 21/03/22)


Última comunicação:

 

Uma cobra (falta identificação) no lote 67

data 13/03/2022

 

Foto: Luiz Marinho


Um encontro de anus na Rua Ipê Vermelho: Anu-preto Crotophaga ani (foto: Heiko Brunken, 20.02.2022) e um jovem do Anu-branco Guira guira  ainda no ninho (no centro; foto: Iris Woltmann, 17.02.2022).


Mais insetos maravilhosos

Gafanhoto (Danielle), cigarra (Ivaldo Vasconcelos 25.02.22), inseto com abdômen vermelho (Júnior síndico 25.02.22), larva com apêndices longos (falta conhecimento de autor), louva-a-deus bebê (Ângela Karla Gomes da Boa Hora, lote 11, 30.11.21), mariposa gráfica (Graça Vasconcelos, lote 67, 31.12.21), mosca verde (falta conhecimento de autor), borboleta (Synale hylaspessobre orquídea (Heiko Brunken, lote 80, 07.03.22), mariposa beige (Graça Vasconcelos, lote 67, 23.01.21).


Impressionante!

 

Teiú (Salvator merianae)

 

Guilherme José de Vasconcelos 20.03.2022

lote 154

 

"Teiús chegam a medir até 1,4 metro de comprimento e pesar quase 5 quilos, sendo considerados um dos maiores representantes de sua família."

 

Leia mais:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Salvator_merianae

 


  

 Que calor!!!

 

Lagarto-verde ou Ameiva (Ameiva ameiva) na piscina da área comum

 

Foto: Ailton Campos Bezerra Júnior (lote 142), 10.01.22 

 

As Ameivas tem um corpo alongado, cabeça pontuda, língua ligeiramente bifurcada e patas traseiras musculosas. São lagartos de tamanho médio, podendo alcançar 55 cm de comprimento.

 

Leia mais:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ameiva_ameiva


Você pode ver?

 

Um Bicho-Pau andando na cerca verde.

(vide descrição em foto abaixo)

 

Foto: Ailton Campos Bezerra Júnior, lote 142

29.12.21


Brontostoma discus (uma espécie de percevejos)

Ordem: Hemiptera, Família: Reduviidae, Subfamília: Ectrichodiinae

 

Foto: Ubirakitan das Neves Monteiro Júnior, lote 1
28.12.21

 

As Ectrichodiinae são uma subfamília de insetos assassinos (Reduviidae) conhecida por se especializar em milípedes como presas. O grupo compreende mais de 600 espécies em cerca de 115 gêneros, o que o torna uma subfamília bastante grande. Os insetos também são conhecidos por sua coloração aposemática (coloração de aviso, coloração de advertência), muitas vezes de cor azul metálico brilhante, vermelho ou amarelo. Espécies desta subfamília se escondem sob o lixo foliar e às vezes se escondem em rochas e caçam à noite. Segundo: https://en.wikipedia.org/wiki/Ectrichodiinae


Bicho-Pau

Ordem Phasmatodea

Foto: Maria das Graças de Oliveira Vasconcelos, Lote 67, 11.12.2021

 

Incrivel!

 

"Os Phasmatodea são insetos conhecidos popularmente como Bicho-pau, Mané-magro e Treme-treme. A distribuição geográfica é ampla e com maior diversidade de espécies nos trópicos, esta ordem possui 13 famílias, 523 gêneros, 2.822 espécies, sendo 591 na América do Sul. Para o Brasil, mais de 200 espécies são conhecidas (Kumagai & Fonseca, 2009)." Segundo: Vargas et al. (2015)

 

Nossa espécie poderia ser Phasmatodea phyllinum, mas isto não é uma certeza! Ainda há muito a descobrir e explorar aqui!

 

Leia mais no artigo: 
Bicho-pau (Phasmatodea) da Reserva biológica de pedra talhada


Há mais para ver (07.12.21):

Iguana-verde bonita!

 

Nome lat.: Iguana iguana

 

Lote 32, fevereiro 2021. É obviamente um animal jovem com uma cor verde claro. Os mais velhos se tornam cada vez mais marrom-acinzentados.

 

A iguana-verde é arborícola e majoritariamente herbívora, podendo consumir proteína animal em algumas ocasiões. Um iguana-verde adulto pode medir 180 cm de comprimento e pesar 9 kg. Alimenta-se de frutas, folhas, ovos, insetos e pequenos vertebrados. Possui uma crista que vai da nuca até a cauda, maior que o resto do corpo.

Segundo: https://pt.wikipedia.org/wiki/Iguana_iguana

 

 

Uma cobra preta (espécie desconhecida)

Foto: Ricardo Batista em 02.09.2021

Uma caranguejeira (espécie desconhecida, provavelmente da Familie Theraphosidae)

 

 Lote 88, 23.06.2021.

 Foto: Inaldo Melo

 

Theraphosidae é uma família de aranhas, que inclui as espécies conhecidas pelos nomes comuns de tarântulas (português europeu) ou caranguejeiras (português brasileiro), que se caracterizam por terem pernas longas com duas garras na ponta, e corpo revestido de cerdas.

Segundo: https://pt.wikipedia.org/wiki/Tar%C3%A2ntula

Uma Louva-a-deus (espécie desconhecida da ordem Mantodea, Insecta)

 

Foram listados 26 gêneros e 36 espécies de Mantodea para o Semiárido! 
Segundo: Eliomar da Cruz Menezes e Freddy Bravo (2014): Mantodea (Insecta) do Semiárido.

 

Leia mais no livro ARTRÓPODES DO SEMIÁRIDO de Adolfo Calor e Freddy Bravo.

Download: https://www.academia.edu/download/42335326/ARTRPODES_DO_SEMIRIDO20160207-32488-ye15w6.pdf 

 

Ainda existe uma grande lacuna em nosso conhecimento sobre estes animais.

 

 

Uma espécie de Cerambicídeos (Cerambycidae, Coleoptera, Insecta). Parece uma espécie de Serra-Pau, compare com a ilustração no pragas.com.brmas pode ser uma outra espécie (veja as diferentes pontas das antenas).

 

 

A fauna Neotropical de Cerambycidae ainda não é totalmente conhecida, e no Brasil, especificamente, existe um vazio no conhecimento nos biomas Caatinga e Pantanal. No semiárido foram coletados 435 exemplares pertencentes a quatro subfamílias, 45 tribos, 132 gêneros e 186 espécies.

Segundo: Francisco Eriberto Lima Nascimento & Freddy Bravo (2014), Espécies de Cerambycidae (Coleoptera) coletadas nas expedições do PPBio Semiárido.

 

Vamos cuidar!



Nos últimos dias e semanas, temos novamente muitas observações de nossa vida selvagem. Fique maravilhado quando você olhar!

Muito obrigado aos fotógrafos (veja os nomes abaixo), e muito obrigado a todos pela proteção e preservação da criação!

Insetos

Cobras e caranguejeiras

A serpente sobre os azulejos (meio) é uma Epicrates cêntrica (segundo especialista Geraldo Moura, UFRPE).

O que é isso rastejando por aí? Ainda precisamos de ajuda para identificar as espécies! Quem pode ajudar? Se você tiver uma idéia, envie para Glícia e Heiko (Lote 80). NÓS LHE AGRADECEMOS!!!

 

As fotos (insetos, pássaros, serpentes, tarântulas) são por: Guilherme José de Vasconcelos, Priscila Lima, Ricardo Batista e Lisiane. Falta alguém na lista?


Nossa riqueza está crescendo. Que maravilha!


 

 

 

Nossos dois bebês-jacarés tomando banho de sol 

 

Foto: Adriano Damasceno de Lima

Data: 22.02.21


Jiboia Boa constrictor

 

Foto: Guilherme José de Vasconcelos

Foto: junho 2020

 

A jiboia é uma serpente que utiliza a estratégia de caça conhecida como «senta e espera». Como é uma serpente de movimentos relativamente lentos, tanto no chão como em árvores, a jiboia fica de tocaia aguardando suas presas aparecerem. Boa constrictor é considerada uma predadora generalista e oportunista, podendo se alimentar de praticamente todos os grupos de vertebrados, como anfíbios, aves, mamíferos e outros répteis. Por seus hábitos arborícolas e terrestres, as jiboias são capazes de predar grandes espécies de lagartos como a iguana (Iguana iguana) e o teiú (Salvator merianae). Em termos de custo e benefício, a preferência por presas maiores é uma adaptação das jiboias para, de certa forma, economizar energia. É mais vantajoso «sentar e esperar» uma presa maior do que se alimentar várias vezes de presas menores.

 

A jiboia é uma serpente não-peçonhenta e não oferece riscos aos seres humanos. É um animal muito tranquilo e não apresenta comportamentos agressivos. Se encontrar uma jiboia, faça uma reverência a este belo animal e siga seu caminho.

Texto: Filipe Martins Aléssio - Professor Adjunto da Universidade de Pernambuco, http://www.portal.zoo.bio.br/media892


Sagui-de-tufos-brancos Callithrix jacchus

Priscila conseguiu tirar fotos destes lindos "companheiros de morada" na frente da sua casa, na entrada da Matinha. 

Foto: Priscila Tenório, data: 08.11.20


Beija-flor (não identificado)

 

O que aconteceu? Este beija-flor lindo estava deitado no gramado e não podia mais voar. Ele está doente? Será que um animal o atacou? Será que ele voou contra uma vidraça? Isso acontece muitas vezes com pássaros e pode levá-los à morte.

Desejamos-lhe uma rápida recuperação!

 

Foto: Marcos A. Silva

Data: 15.02.21


Jacaré

 

"Olá!!! Moramos aqui nesse condomínio maravilhoso!"

 

 

Foto: Aldenor Tenório

Data: 14.02.21


Nossas corujas - Fotos: Weidson Marinho, Datas: 30.01.21, 14.02.21


Jabuti-piranga com fome - Fotos: Weidson Marinho, data: 14.02.21

jabuti-piranga (Chelonoidis carbonaria) é uma das duas espécies de jabuti conhecidas. Por ser a espécie mais comum dos jabutis, também é chamado abreviadamente como jabutijaboti ou jabutim. A espécie é comum nas matas brasileiras, desde o Nordeste (subespécie) até o Sudeste. Seu habitat natural varia de savana a bordas da floresta em torno da Bacia Amazônica. Eles são onívoros com uma dieta baseada em uma grande variedade de plantas, principalmente frutas, quando disponíveis, mas também incluindo gramíneas, flores, fungos, detritos e invertebrados. Ovos, recém-nascidos e jabutis jovens são alimentos para muitos predadores, mas as principais ameaças para adultos são onças-pintadas e humanos. A densidade populacional varia de local comum a muito escassa devido em parte à destruição do habitat e a cobrança excessiva de alimentos e o comércio de animais de estimação. Fonte: Wikipedia https://pt.wikipedia.org/wiki/Jabuti-piranga


Borboleta - Olho-de-pavão-diurno

Junonia cf. evarete CRAMER, 1782

(Junonia genoveva???)

Family - NYMPHALIDAE

subfamily - NYMPHALINAE

Tribe - JUNONIINI

 

Read more: http://www.learnaboutbutterflies.com/Andes%20-%20Junonia%20genoveva.htm)

https://pt.wikipedia.org/wiki/Junonia_evarete

 

Foto: Tatiana

Data: 23.05.20


Besouros bonitos - Fotos: Tatiana, data: 23.05.20


Falsa-coral

Oxyrhopus petolarius

Identificada por Simão Vasconcelos

Foto: Aldenor Tenório

Data: 07.06.20

 

Como identificar corais-verdadeiras e falsas-corais?!

 

Não se recomenda que leigos tentem diferenciar as corais venenosas das falsas-corais, mantendo sempre a distância e o respeito por esses animais quando encontrá-los. Existem no Brasil 32 espécies de corais-verdadeiras e mais de 50 espécies de cobras que podem ser confundidas com as corais (as chamadas falsas-corais). Uma grande diversidade de corais está presente em nosso país e somente quem lida com esses animais adquire a experiência necessária para reconhecê-las corretamente. Segundo: http://www.herpetofauna.com.br/Corais.htm


Cágado (Cágado-do-nordeste?)

(Mesoclemmys tuberculata ???  -  Pedimos ajuda para identificar!!!  -  Read more: artigo científico)

 

Perto do primeiro açude

 

Foto: Aldenor Tenório

Data: 23.05.20


Borboleta, mariposa

Espécie ainda não identificada

 

Fotos: Tatiana

Data: 20.05.20


Uma espécie de diplópodes 

 

Foto: Heiko Brunken

Data: 15.03.20

Lote: 80

 

Os diplópodes (Diplopoda) são uma classe do subfilo Myriapoda, vulgarmente conhecidos como piolhos-de-cobra. Vivem em ambientes húmidos, com pouca luminosidade e com material orgânico disponível para a alimentação, podendo ser carniceiros e parasitas de plantas. Outros nomes pelos quais são conhecidos incluem embuá, gongolo e variantes. Os diplópodes são um grupo de artrópodes que se caracterizam por ter dois pares de patas na maioria dos seus segmentos corporais e que se classificam taxonomicamente como uma classe. Cada segmento com dois pares de patas é o resultado da fusão de dois segmentos simples. Fonte: Wikipedia


Anu-branco

Guira guira

 

Foto de Igor Felipe, filho de Marcos A. Silva, 01.05.20

 

É usualmente encontrado em bandos familiares. Seu nome científico significa: do (guarani) e do (tupi) guyra = ave, pássaro. Mede entre 36 e 42 centímetros de comprimento, incluindo seus 20 centímetros da cauda, e pesa entre 113 e 168,6 gramas.

Fonte, e leia mais: https://www.wikiaves.com.br/wiki/anu-branco

 


Cobra coral verdadeira ou falsa?

Olha, que animal bonito! As fotos foram enviadas por Tatiana. A cobra foi encontrada no dia 21 de maio de 2020 e foi devolvida à natureza. 

Falta ainda identificar a espécie. Vamos falar com especialista. Por enquanto, tem um site de Batista "Cobras venenosas" com mais informações:

 

"Diferenciar uma serpente micrurus (Cobra-Coral-Verdadeira) de uma cobra peçonhenta de outra espécie tendo conhecimentos de ofiologia, torna-se mais fácil do que a distinção entre micrurus e falsas corais, com ou sem as mesmas características. Mas, se você não possuir conhecimentos específicos sobre répteis e quer identificar uma serpente somente por curiosidade, não se arrisque. Principalmente, se esta for uma coral. Pois, além de existir duas delas com mais semelhanças do que diferenças, o órgão que diferencia e identifica 100% as serpentes peçonhentas das não peçonhentas é a fosseta loreal, e esta às cobras corais verdadeiras (peçonhentas) não possuem."

 


Borboleta

Espécie ainda não identificada

 

Foto: Tarciana

Data: 23.05.20


Borboleta

Espécie ainda não identificada

 

Foto: Ângela

Data: 01.05.20


Borboleta

Espécie ainda não identificada

 

Foto: Fátima

Data: 17.05.20


Quem mora na nossa caixa de água?

Fotos: Heiko Brunken; data: 29.20.20; lote: 80. Por favor, pedimos ajuda para identificação. Obrigado!


Quem é?

 

Parece uma Capivara. Mas provavelmente é uma Paca (Cuniculus paca) ou uma Cutia (ou Duarte) (Dasyprocta spec.). Ambos são grandes roedores e dificilmente podem ser distinguidos no escuro. Talvez possamos vê-los durante o dia? 

 

Ambas as espécies estão ameaçadas de extinção e podem encontrar um lar protegido conosco.

 

A foto é de um vídeo enviado para nós por Tarciana Gomes em abril de 2020.

Download
Nosso roedor secreto e desconhecido
Paca_ou_Cutia.mp4
MP3 Audio Datei 14.3 MB

Muçuã ou jurará 

Kinosternon scorpioides

 

É uma pequena espécie sul-americana de cágado da família dos quinosternídeos que se alimenta especialmente de peixes, girinos, insetos e algas.

Sua carapaça possui três carenas longitudinais e o focinho termina em forma de bico [olha na foto!]. A espécie, se não for protegida, dentro em pouco estará ameaçada de extinção. Pode colocar de 2 á 3(6) ovos. (Wiki)

 

Foto: Aldenor Tenório, 26.04.20.


Sagui-de-tufos-brancos

Callithrix jacchus

 

O sagui-de-tufos-brancos, também conhecido como saguim, é uma espécie de macaco de pequeno porte do Novo Mundo, originário do Nordeste do Brasil,

A espécie vive em grupos de três a quinze animais, formados por indivíduos reprodutores e não reprodutores, adaptando-se a uma área de coleta pequena de 0,5 ha. a 35,5 ha. Isso se deve provavelmente ao fato de possuírem uma dieta rica em goma, que permite que os animais explorem outros tipos de alimento, além de frutos, em meses de escassez. Alimentam-se de insetos, aranhas, pequenos vertebrados, ovos e pássaro, frutos e são também gumívoros (alimentam-se da goma exsudada de troncos que roem com os dentes incisivos inferiores, de árvores gumíferas). Essa goma serve de fonte de carboidratos, cálcio e algumas proteínas. O sagui despende cerca de 25 a 30% de seu tempo ativo procurando por alimentos. Nas fêmeas, a maturidade sexual é atingida aos 18 meses e nos machos aos 24. O período de gestação varia entre 140 e 160 dias, depois de um ciclo estral de cerca de 15 dias. Nascem dois filhotes a cada gestação, os quais já não relativamente grandes.

Foto: Aldenor Tenório, 30.04.20. "Na nossa matinha."

Texto (e leia mais): https://pt.wikipedia.org/wiki/Callithrix_jacchus


Quem é?

 

Jacaré

 

Nosso jacaré-bebê! Gostando dos nossos açudes (aqui brincando no primeiro açude).

 

Foto: Aldenor Tenório, 30.04.20.

 

 

Download
Nosso jacaré bebê nadando - Video de Aldenor Tenório
Jacaré_Bebê_nadando_Aldenor_Tenório_3
MP3 Audio Datei 4.2 MB

Quero-quero

Vanellus chilensis

 

O quero-quero, quem-quem, espanta-boiada, tetéu, xexéu ou também conhecido como abibe-do-sul é uma ave da ordem Charadriiformes da família Charadriidae.

Foto: Heiko Brunken.

Texto: https://www.wikiaves.com.br/wiki/quero-quero

 

 




Bico-de-lacre

Estrilda astrild

O bico-de-lacre-comum é nativo da África subsaariana. Foi introduzida no Brasil pelos marinheiros dos navios mercantes portugueses. Soltas, essas aves proliferaram abundantemente e hoje são encontradas em bandos nos capinzais do Sul, Sudeste, Norte, no Nordeste (nos meses de Abril e Maio) em maior quantidade, e Centro-oeste brasileiros.

Foto: Heiko Brunken. Leia mais: 

https://pt.wikipedia.org/wiki/Bico-de-lacre-comum

 




Jacaré

Familia Alligatoridae

 

Ainda não há uma determinação confiável da espécie que nada em nossa lagoa (veja foto).

Foto ("nosso jacarézinho"): Heiko Brunken.

Leia também: 

http://www.ufrpe.br/br/content/pesquisadores-da-ufrpe-realizam-soltura-de-jacar%C3%A9s-pagu%C3%A1

 

 




Anu preto

Crotophaga ani

 

É da família Cuculidae que ocorre da Flórida à Argentina e em todo o território brasileiro. Para se aquecer, aglomera-se em bandos desordenados, geralmente formados por sete a quinze indivíduos. O anu-preto vive nas paisagens abertas com moitas e em capões entre pastos e jardins. Sempre anda em pequenos bandos de cinco a sete indivíduos que voam de um lugar para o outro (no máximo a distâncias de cinquenta metros), sempre saindo primeiramente o líder.

Foto ("Anu preto na chuva"): Heiko Brunken.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Anu-preto




A SUA FOTO

 

Vamos mostrar a riqueza da natureza em nosso terreno!

 

Se você tem fotos, envie-as para Heiko ou Glícia para postá-las aqui. Obrigado!